Inspirado pelo amigo Eduardo Zulian que costuma publicar suas descobertas musicais em seu blog, decidi falar um pouco sobre o que tenho ouvido nos últimos anos e como isso me mudou.

Em Maio de 2018, fiz uma palestra no WordCamp Porto Alegre onde falei um pouco sobre a cultura da Automattic e como a diversidade presente lá ajuda a ver o mundo com olhos diferentes. No final da apresentação, um dos presentes perguntou se eu tinha alguma dica sobre como treinar empatia e essa foi minha resposta:

Para ser mais empático, é necessário sair da zona de conforto. Consumir mídias diferentes daquilo que você costuma consumir já é um bom começo.

Dei exemplos de assistir séries e filmes que você normalmente acharia que não foram feitos para você, ler livros que nunca despertaram seu interesse ou até mesmo ouvir estilos musicais que você não costuma ouvir ou não gosta.

Como decidi focar esse post em música, aqui estão algumas das playlists que tenho ouvido bastante ultimamente:

  1. Esquenta Sertanejo
  2. Funknejo
  3. RAPública
  4. Novos Beats
  5. Escuta as Minas
  6. Pride Classics
  7. Pagodeira
  8. Forró até o amanhecer
  9. Novo Som
  10. Tastebreakers

Ao se dar conta que há público para tudo aquilo que você não gosta ou nunca valorizou, o primeiro passo para descobrir um universo bem diferente do seu universo pessoal foi dado. E isso é algo bem maior do que se imagina!

É bem normal só ver o mundo de um determinado ponto quando você só interage com pessoas de uma mesma bolha e com isso acabamos esquecendo que há pessoas que vivem fora daquilo que estamos acostumados.

Reconhecer que pessoas com histórias diferentes da sua existem, é primordial para aceitá-las e respeitá-las.

Você pode até pensar que ouvir músicas diferentes não é algo que possa funcionar para começar a entender um pouco o mundo que a pessoa ao seu lado vive mas, quando lembramos que música é arte e é a manifestação de sentimentos vividos por alguém em um determinado momento, tudo fica mais claro.

Quer entender melhor as pessoas?
Comece a ouvir seus sentimentos e histórias pela música que fazem. Se abra para elas! Assim chegará o ponto em que você conseguirá sentir o que outras pessoas passam sem precisar sofrer o mesmo. Isso é empatia!

Tem alguma dica de música, banda ou estilo musical para mim? Deixe aí nos comentários 🙂

2 comentários em “Como a música me ajudou a ter mais empatia

  1. Interessante. Nunca tinha pensando na música com esse propósito.

    Vou deixar minha contribuição de sons que escuto e que estão fora da minha zona de conforto: MC Lan, McCarol Bandida, Facção Central (em especial a música Roleta macabra), RZO e Salvo Melhor Juízo (não é música, mas é um podcast.. xD).

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.