Tapete emborrachado da Nomad e rolo Btwin 300

Como tenho pedalado em casa nesses tempos de distanciamento social

Dicas e equipamentos que uso para pedalar em casa durante esse período de quarentena.

Há alguns dias atrás publiquei uma sequência de stories em meu Instagram compartilhando um pouco sobre como tenho pedalado em casa durante esse período de quarentena e acredito que é algo válido de ser mencionado aqui também.

Por isso, fiquem com minhas dicas de como praticar ciclismo indoor. Espero que curtam 🙂

Equipamentos

Bicicleta

Esses dois primeiros itens são os essenciais para conseguir pedalar em casa.

Em meu caso, uma bicicleta Alfameq modelo Tirreno aro 26 que já está comigo há cerca de 20 anos. Apesar da idade dela, como sempre faço manutenções e troca de peças, está maravilhosa para pedalar.

Rolo Btwin 300

Há diversos tipos de rolos disponíveis no mercado e o preço varia bastante também. Você pode encontrar rolos mais simples como esse que uso a partir de R$ 500 e indo até R$ 18.000 para rolos inteligentes de topo de linha.

Um dos benefícios de usar um rolo inteligente é não precisar dos sensores para fazer a conexão entre a bicicleta e o Zwift ou outro aplicativo de treino. Como eu pedalava mais na rua (espero voltar logo para elas), preferi comprar um rolo simples e investir nos sensores para ter os mesmos dados salvos no ciclocomputador ao pedalar fora do rolo.

Este rolo específico foi um dos mais baratos que encontrei na época que o comprei (paguei em torno de R$ 700 em 2018) e que aparentava ser mais parrudo e capaz de aguentar meu peso. Peso limite e tamanho da roda são duas informações importantes para verificar ao escolher seu rolo.

Como o rolo eleva a roda traseira, outro acessório importante é o suporte da roda dianteira que deixa a bicicleta no mesmo nível e impede que você pedale com o corpo muito inclinado para frente.

Há também os rolos de equilíbrio que deixa a bicicleta solta sobre 3 cilindros mas não achei interessante tentar essa opção pois pelado na sacada cercado por janelas e preferi evitar possíveis acidentes.

Tapete emborrachado

Ao pedalar parado, todo aquele vento refrescante ao pedalar na rua/estrada não existe. Por isso a quantidade de suor gerado é bem maior e vai direto para o chão.

Dei algumas pequenas escorregadas ao descer da bicicleta nas primeiras vezes que usei o rolo até que decidi comprar esse tapete da Nomad.

Como o tapete é emborrachado, ele evita que o suor vá direto para o chão e ainda diminui a vibração causada pelo rolo. O que diminui consideravelmente o barulho gerado. Se você pedala em apartamento, é algo bem bacana de ter.

Sensores de velocidade e cadência

Quando decidi trocar o ciclocomputador (usei o mesmo Cateye por quase 20 anos), escolhi um da Garmin e comprei os sensores de cadência e velocidade junto.

O sensor de cadência é instalado no pedivela e mede a frequência das pedaladas. O sensor de velocidade, por sua vez, é instalado no eixo da roda traseira (roda que gira no tipo de rolo que tenho) e mede a velocidade da bicicleta.

Como tudo que envolve tecnologia, é algo caro aqui no Brasil mas há outros tipos de sensores com suporte a ANT+ e Bluetooth mais em conta. Caso você compre sensores Bluetooth, não será necessário usar o adaptador ANT+ para conectá-los ao computador.

Adaptador ANT+

Como os sensores da Garmin suportam apenas o sinal ANT+, foi necessário comprar um adaptador para ler esse sinal no computador e conseguir usar o Zwift.

Computador conectado ao Zwift

O Zwift.com é um aplicativo que pode ser instalado em seu celular, tablet ou computador para fazer treinos virtuais (corrida ou, como em meu caso, ciclismo) e visualizar ou até mesmo competir com outros usuários espalhados pelo mundo que estejam pedalando ou correndo no mesmo trajeto que você.

Apesar de ser pago, acredito que seja algo essencial para tornar o treino proveitoso e menos cansativo mentalmente já que é bem chato pedalar olhando para a parede.

Após instalar o Zwift onde você deseja, você poderá sincronizar seus sensores e começar a pedalar. Caso você tenha um rolo smart (inteligente), a intensidade do treino mudará de acordo com a inclinação do terreno em que você esteja pedalando.

Dicas

Como mencionei anteriormente, a quantidade de suor gerado ao pedalar no rolo é bem grande. Por isso é bem importante manter sua garrafa d’água e uma toalha por perto. Assim você mantem a hidratação e ajuda a diminuir os pingos de suor no quadro da bicicleta e no chão.

Caso você tenha espaço na área em que decidiu montar a bicicleta no rolo, pode ser interessante colocar um ventilador também. Isso ajuda a lembrar do vento na cara e a manter o corpo fresco.


Espero que você tenha curtido essas dicas e que esse conteúdo te encoraje a treinar em casa e compartilhar suas próprias dicas com todo mundo 🙂

4 comentários

  1. I’ve thought a couple times about getting a trainer. I may look at one for next winter so I can get some cycling in without being out in the snow.

  2. Valeu pelo post!

    Alguma recomendação de ciclocomputador bom e barato no Brasil?

    • Infelizmente, tudo é bem caro por aqui mas, dependendo dos recursos que você quiser ter no ciclocomputador, pode ser que os modelos mais básicos atendam.

      Eu usei um da Cateye por muito tempo e sempre funcionou muito bem mas, como parou no tempo, comprei um Garmin Edge 520+ numa viagem. Bom que dá para ver até as mensagens do celular na tela e os sensores são bem precisos, o que não ocorria com o Cateye de imãn que eu usava antes.

      Vi que a Btwin faz de tudo, inclusive ciclocomputador sem fio a partir de R$ 159 e vende direto na Decathlon.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: